Depressão Infantil – Sintomas, Prevenção e Tratamento

depressão infantil pode surgir em qualquer momento da sua vida, mais na adolescência, mas também pode surgir mais cedo, muitas vezes a depressão infantil é ignorada, o que pode levar ao agravamento do problema ao longo da sua vida. Mudanças na sua vida quotidiana, como a morte de alguém próximo, divórcio dos pais podem ser a causa mais apontada para a depressão infantil, mas a sua origem pode estar noutras situações.

A depressão é a doença do século, afeta cada vez mais pessoas e não são só os adultos que sofrem com este problema, nos últimos 10 anos, de acordo com a OMS, o número de casos de depressão diagnosticado em crianças quase que duplicou e estes valores referem-se aos casos diagnosticados.

Sintomas da depressão infantil

Os sintomas variam muito de criança para criança, é importante que os pais estejam atentas a mudanças nos filhos.

Tristeza contante, mesmo em actividades que antes gostava.

Regressão no comportamento, a criança ou adolescente assume comportamentos que não são adequados à sua idade.

Dificuldade de concentração e em tomar decisões.

Fadiga.

Isolamento.

Falta de apetite.

Dificuldade em dormir ou dormir em demasia.

Ansiedade

A depressão também pode levar a qua a criança apresente sintomas de doença como náuseas e vómitos.

depressao-infantil

Causas ou situações que podem causar depressão

Morte de alguém próximo

Divórcio dos pais, casamento dos pais com outras pessoas ou nascimento de irmãos.

Bullying, é uma situação cada vez mais falada e continua a acontecer muito nas escolas.

Abuso infantil

Dificuldade de aprendizagem

Mais na adolescência os desgostos de amor.

Diagnóstico da depressão infantil

O diagnóstico de uma depressão infantil deve ser feito o mais precocemente possível, os pais devem estar atentos a qualquer mudança no comportamento dos filhos, ainda é complicado diagnosticar esta doença, especialmente, em criança com menos de 7 anos, é necessário despistar qualquer outra doença. Mas o importante é levar a criança ao médico, o tratamento deve ser seguido à risco e deve envolver os pais e também os professores no caso de a criança frequentar a escola.

Actuali

Leave a Reply